Atendimento/Televendas

  • (11) 3583-0450
  • WPP: (11) 96356-0323

Cinomose Canina: Doença grave que pode ser letal para o seu cão

Vírus da esgana canina ou cinomose canina é uma infecção viral causada por um vírus da família Paramyxoviridae, do gênero Morbillivirus. A doença está presente no mundo todo, e acomete gravemente cães, raposas e lobos. O vírus atinge o sistema gastrointestinal, respiratório, a pele e o sistema nervoso. A doença representa um alto risco de morte, principalmente à cães mais velhos, por terem um sistema imunológico mais fragilizado, filhotes que ainda não foram completamente vacinados, e cães que não recebam anualmente a vacina múltipla. Veja neste artigo, mais informações sobre sua transmissão, sintomas, tratamento e prevenção. 


Como é transmitida a cinomose canina


Como o vírus está presente nas secreções do animal, sua transmissão pode ocorrer pelo ar através do espirro, tosse ou mera proximidade de cães doentes. 

Outra possibilidade de transmissão é através de recipientes de alimentos ou água infectados, ou qualquer outro objeto que o cachorro doente tenha tido contato. Até mesmo o simples fato de passear em algum local onde um animal doente esteve, já implica um risco de infecção, devido a eliminação do vírus que ocorreu naquele local, através de secreções expelidas do nariz ou boca. 

É importante salientar que a doença não é transmissível para seres humanos e nem para gatos.


Quais são os sintomas da cinomose canina


Os sintomas costumam aparecer já no primeiro mês do contágio da doença. Não há necessariamente uma ordem para surgirem. Se o sistema gastrointestinal for atingido primeiro, um dos primeiros sintomas pode ser diarreia. O sistema respiratório também é atingido, causando uma secreção de cor amarela e com pus no nariz e olhos. A pele do animal pode ter pústulas na região do abdômen e a almofada das patas ficam ásperas. 

Em estágio avançado, a doença atinge o sistema nervoso causando convulsões, movimentos musculares involuntários, falta de coordenação motora e perda de movimento total ou parcial. 

Outros possíveis sintomas são tosse com catarro, febre, falta de apetite, fraqueza, vômitos, choro e uivos. 


Tratamento para cinomose canina


Infelizmente, ainda não um tratamento que cure a doença. O objetivo consiste em aliviar os sintomas e impedir que haja piora no quadro, até que a própria doença complete seu curso. Para que o animal tenha mais chances de sobrevivência, ele dependerá do tratamento ser iniciado nos estágios iniciais da infecção.

Caso haja demora no início do tratamento, mais a doença irá progredir, e menores serão as chances do cão sobreviver. 

Em um estágio avançado, quando o vírus já tiver atingido o sistema nervoso, o veterinário poderá indicar a eutanásia para aliviar o sofrimento. 

Ainda que o animal consiga sobreviver e tenha o vírus totalmente eliminado do seu corpo, ele terá sequelas permanentes, devido a danos irreversíveis causados ao seu sistema nervoso. Entre as sequelas estão espasmos musculares, convulsões e falta de coordenação motora. Neste caso, o pet precisará de fisioterapia e medicação para convulsões para ter uma melhor qualidade de vida. 


Como prevenir a cinomose canina


Existe vacinação para cinomose, e deve ser tomada anualmente. Os filhotes devem receber até quatro doses a partir de um mês e meio de vida. O animal não deve passear até que a última dose da vacina seja aplicada, pois seu sistema imunológico não estará preparado para combater o vírus.

Medicamentos Pet

Ver todos os produtos

Telefone
WhatsApp